Return to site

Auto estima da Mulher Negra

Empoderamento de dentro pra fora

Falar em auto estima é pensar em uma “construção social, na qual cada sujeito vai podendo construir-se, na medida em que se relaciona com os outros. Como consequência dessa relação, ocorre a auto apreciação, auto valorização (...) e por fim, e consequentemente a auto estima.” Mas como mulheres negras podem ter uma visão positiva de si mesmas convivendo diariamente com o racismo?
A auto estima começa lá atrás. Quando se é criança e seus cuidadores vão apontando algumas características em você, posteriormente vem através de nossas experiências sociais e a somatória disso faz com internalizemos o que somos. Assim, a primeira percepção sobre nós mesmos começa através do olhar do outro.
O racismo faz com que internalizemos uma estrutura frágil e qualquer coisa que afirme aquele lugar que você foi socialmente colocado abala a auto estima. Assim como, distorce a autoimagem que as mulheres negras tem de si mesmas.

As representações sociais sobre mulheres negras no cenário brasileiro quase sempre estão vinculadas a estereótipos de servilismo profissional e sexual. Nossos corpos colocados sempre a margem do mercado afetivo e naturalizado no mercado sexual, da erotização e do trabalho subalterno. A ausência midiática associada a um padrão hegemônico de beleza é tão danosa a nossa saúde emocional quando a anulação social e institucional a qual somos submetidas.
O autoconhecimento é uma das chaves que possibilita o fortalecimento da auto estima. Quanto mais uma pessoa se reconhece enquanto sujeito em contínua relação com o meio, maiores as chances de superar suas limitações e ampliar suas possibilidades. Ter consciência do seu pertencimento racial através da história do negro no Brasil, bem como, de sua ancestralidade africana é também uma forma de elevarmos a auto estima.
Agregar valor a atributos de um povo, qualificar e respeitar suas características, cultura, sua forma de expressão e manifestação enquanto sujeito e seu coletivo é também ambiente fértil para a manifestação e fortalecimento da auto estima.
Importante é ter em mente que essa construção é um processo e que um passo por vez garante uma trajetória.

Laila Carolina Resende - 11/04/2017

All Posts
×

Almost done…

We just sent you an email. Please click the link in the email to confirm your subscription!

OKSubscriptions powered by Strikingly