Return to site

Miserabilidade e Negritude

em ascensão

Ascensão significa ato ou estado de mover-se para cima, elevar-se, ascender.

Pouco mais de 100 anos após a abolição da escravatura é possível perceber uma pequena ascensão da população negra. De maneira modesta, temos ascendido intelectual, estética, política e economicamente. No entanto, um dos estigmas, pouco falado, mas muito conhecido entre negros é o da miserabilidade. Miserabilidade aqui é tido como uma condição social, de baixo poder aquisitivo e pouco destaque, predeterminada a pessoas negras.

É perfeitamente aceitável o negro no papel servil, mas muitas vezes impensável um negro exercendo cargo de chefia, destaque, liderança, e obtendo aquisições materiais. Esse negro em ascensão causa desconforto não apenas na branquitude, mas também entre os próprios negros. Isso acontece porque a maioria de nós, pessoas negras, ainda não consegue ocupar lugares de destaque. Não por falta de esforço, mas por sermos fruto de uma sociedade capitalista e racista que se sustenta através da diferença, da segregação, da valorização de um grupo de pessoas em detrimento de outro. Esta mesma sociedade quer que acreditemos que as conquistas acontecem tão somente por mérito, logo, é como se pessoas negras não estivessem se empenhando o suficiente.

Somado a isso, é necessário desfazermos desse olhar cotista, que nos remete a ideia de que existem poucos lugares de notoriedade destinados às pessoas negras. Raras oportunidades para uma grande quantidade de pessoas que acaba por gerar uma competição ferrenha, uma disputa feroz entre os pares, destacando a noção de que, as oportunidades não são para todos, e que portanto outro negro está ocupando um lugar que poderia vir a ser seu.

É preciso educar nosso olhar para as pessoas negras em ascensão. Precisamos admirar estas pessoas, tal qual e com a mesma facilidade que fazemos com pessoas brancas. Identificar-se com essas pessoas gera empatia e estimula outra lógica, que a despeito do lugar que a sociedade nos impõe, é possível traçarmos outra rota.

Os meios de comunicação de massa estão começando a nos apresentar modelos de pessoas negras em distintos campos de atuação como escritores, atores, cientistas, empreendedores e cabe dizer que por esforço da própria comunidade negra em se auto referenciar em diversos movimentos espalhados pelo Brasil, mergulharmos em referências negras positivas possibilita o desenvolvimento da nossa própria auto estima.

O caminho é árduo, na maioria das vezes. Não teremos as mesmas oportunidades que pessoas brancas, mas que não seja um caminho solitário entre nós.

Laila Carolina Resende

30/10/2017

All Posts
×

Almost done…

We just sent you an email. Please click the link in the email to confirm your subscription!

OKSubscriptions powered by Strikingly